Bolsonaro volta a defender abertura de comércio no país


Bolsonaro volta a defender abertura de comércio no país







Bolsonaro afirma que idosos devem ser protegidos

Bolsonaro afirma que idosos devem ser protegidos

Isac Nóbrega/PR - 24.03.2020

O presidente Jair Bolsonaro voltou a defender a reabertura do comércio brasileiro na manhã desta quarta-feira (25) no Twitter. 

Alguns estados, como é o caso de São Paulo e Rio de Janeiro, decretaram quarentena de 15 dias, obrigando o fechamento de locais como escolas e faculdades, e comércio não essencial. 

Na publicação, o presidente afirmou que o país deve fazer "de tudo para preservar a vida dos idosos e portadores de comorbidades", que são doenças pré-existentes que fazem com que a pessoa se enquadre no grupo de risco do coronavírus. 

Jair M. Bolsonaro?@jairbolsonaro

38 milhões de autônomos já foram atingidos. Se as empresas não produzirem não pagarão salários. Se a economia colapsar os servidores também não receberão. Devemos abrir o comércio e tudo fazer para preservar a saúde dos idosos e portadores de comorbidades. http://youtu.be/GZ6kVuyEdaM 

8.719 pessoas estão falando sobre isso

Na noite de terça-feira (24), Bolsonaro fez um pronunciamento em que criticou o isolamento social, indicado por especialistas para conter a transmissão do coronavírus, e disse que vida deve continuar. 

"O sustento das famílias deve ser preservado. Devemos, sim, voltar à normalidade. Algumas poucas autoridades estaduais e municipais devem abandonar o conceito de terra arrasada, como proibição de transporte, fechamento de comércio e confinamento em massa", enfatizou.

"Levem a sério esta pandemia, isto não é férias", diz David Uip 

Na avaliação de Bolsonaro, 90% dos infectados não manifestarão nenhuma reação ao coronavírus. "O que se passa no mundo tem mostrado que o grupo de risco é o das pessoas acima dos 60 anos. Então, por que fechar escolas? Raros são os casos fatais de pessoas sãs, com menos de 40 anos de idade. Devemos, sim, é ter extrema preocupação em não transmitir o vírus para os outros, em especial aos nossos queridos pais e avós. Respeitando as orientações do Ministério da Saúde", observou.

Ele ainda garantiu que, devido ao seu histórico de atleta, não enfrentaria problemas caso fosse contaminado. "caso fosse contaminado pelo vírus, não precisaria me preocupar, nada sentiria ou seria, quando muito, acometido de uma gripezinha ou resfriadinho", destacou.